Navegar anônimo na Internet já é possível

Em uma rua pacata em Porto Alegre, um pequeno restaurante vegetariano armazena um servidor que é capaz de embaralhar endereços de IP, conjunto de números que identifica cada dispositivo ligado à internet.

Um dos donos do restaurante, que reúne livros, pôsteres e postais sobre cultura livre, juntou-se ao projeto Tor (www.torproject.org), que tem como objetivo proteger usuários contra a análise de tráfego, uma forma de vigilância na internet.

Desenvolvido no Brasil, projeto Tor tem como objetivo proteger usuários contra análise de tráfego, uma forma de vigilância na web.

Desenvolvido no Brasil, projeto Tor tem como objetivo proteger usuários contra análise de tráfego, uma forma de vigilância na web.

Projeto Tor tem como objetivo proteger usuários contra a análise de tráfego, ou seja, uma forma de vigilância na internet

Jacob Appelbaum, hacker de segurança na computação e um dos responsáveis pelo projeto, afirma que existem 16 servidores do Tor no Brasil.

Por meio deles, um usuário de internet da China, por exemplo, consegue navegar anonimamente, driblando as restrições do governo.

Defendemos a liberdade, a privacidade.

O Tor protege usuários de internet distribuindo suas comunicações ao longo de uma rede feita por voluntários.

O Tor ajuda a acessar sites e mensageiros instantâneos que são bloqueados por provedores locais de internet.

Os serviços escondidos, como são denominados, permitem que alguém atualize blogs ou sites sem necessidade de revelar sua localização.

Na sexta-feira retrasada, no tal restaurante vegetariano, Appelbaum, Peter Sunde, do Pirate Bay, Elizabeth Stark, advogada especializada em cultura livre, e Seth Schoen, tecnologista da Electronic Frontier Foundation, entre outros, falaram sobre liberdade na internet e, claro, sobre amenidades.

Na hora do brinde, com sucos e cervejas artesanais, todos ergueram os copos e exaltaram, em coro, sua filosofia:

À pirataria!

Fonte: Folha de São Paulo

Anúncios

As melhores dicas de Google Adwords

O Google Adwords é um sistema de links patrocinados, que funciona com PPC e tem feito muita diferença na publicidade de grandes empresas.

Vamos conferir algumas dicas de como montar sua campanha para que ela seja bem sucedida.

Dicas de SEO para aumentar suas visitas

Dicas de SEO para aumentar suas visitas

1. Trace um objetivo.

Não adianta iniciar uma campanha de Adwords com o pensamento “quero vender mais”.

É preciso estabelecer uma quantidade, uma proporção, algo plausível para análise de desempenho.

É preciso também saber em quanto tempo esse “aumento de vendas” deve ser alcançado.

Por exemplo, tenho um site que vende meias.

Uma média de 300 visitas diárias e 2 vendas.

Quero passar a 3000 visitas ao dia em 4 meses.

Isso influencia diretamente no investimento financeiro a ser feito.

2. Se situe.

Para que as pessoas se interessem pela sua campanha, é preciso que ela seja muito objetiva e exponha o melhor do seu produto.

Identifique precisamente o que seu produto ou serviço oferece e suas maiores qualidades.

Meu site de meias, por exemplo, não vou vender meias de seda ou algodão.

Vendo pernas bonitas e pés quentes.

3. O ponto de partida.

Recolha o maior número de informações sobre a sua situação atual que for possível.

Com o Google Analytics, você pode obter informações do tipo: quantas visitas tenho atualmente, de onde elas vem, quanto tempo ficam no site, pelo que mais procuram, por onde entram no meu site, quanto cada cliente gasta em média…

Quanto mais dados recolher, melhor.

Conheça sua clientela.

4. Conheça os concorrentes.

Seu site pode ser muito bom e seu produto de muita qualidade e, mesmo assim, não conseguir os clientes que queria.

O problema pode ser a concorrência.

Recolha informações do tipo:

Quem são seus concorrentes no Google?

O que, como e quando anunciam?

Onde se posicionam?

Os anúncios são sempre os mesmos ou mudam?

Onde levam os anúncios?

5. Trace uma estratégia.

Talvez, para alcançar seus objetivos, você não precise aparecer em primeiro lugar para todas as buscas, ou fazer uma campanha PPC por muito tempo.

Analisando todas as informações recolhidas, estabeleça a estratégia a ser seguida.

6. Comece a campanha.

Organize sua campanha por tópicos, cada produto ou serviço pode ser melhor explorado com uma campanha específica.

Aproveite também os recursos de localização geográfica, idioma e tipo de anúncio para mostrar uma propaganda para o público que realmente está interessado no seu produto.

7. Não use palavras-chave duplicadas.

Mesmo o Google desaconselha fazer campanhas diferentes focando a mesma keyword.

Isso apenas fará seus anúncios concorrer entre si.

Além disso, o Google mostra apenas um anúncio de cada anunciante em cada página de resultados.

8. Atenção aos detalhes.

Menor número de keywords, mas mais específicas, dão mais resultado nas campanhas do que uma lista enorme e genérica de propagandas.

Coloque a keyword no texto do seu anúncio.

Coloque os aspectos exclusivos do eu produto/serviço no anúncio.

9. Não se engane.

Direcionar seus clientes apenas para a sua página inicial não é um bom negócio.

Manda-los para as páginas específicas dos produtos nos quais clicaram nos anúncios pode trazer uma taxa de conversão melhor.

Unir uma campanha SEM a uma otimização do SEO de sua página pode melhorar muito os resultados.

10. Acompanhe seu desempenho.

Você estudou, recolheu informações, estabeleceu objetivos e montou suas campanhas.

Ótimo.

Só não se esqueça de acompanhar e monitorar de perto o resultado de suas campanhas.

Elas também o ajudarão a definir o melhor caminho a seguir.

Fonte: Mestre SEO

Internet usada para jovens pararem de fumar

Enquanto no Brasil, os nosso governates estão muito ocupados, ou viajando mundo a fora, ou tenetando se defender de acusações de corrupção, nos Estados Unidos o Governo apoia pesquisas como a da Universidade de Illinois, em Chicago (EUA), que está liderando um projeto avaliado em US$ 2,9 milhões (cerca de R$ 5,6 milhões) do Instituto Nacional de Câncer norte-americano sobre o uso da internet em tratamentos para fazer com que jovens entre 18 e 24 anos parem de fumar.

Internet usada para incentivar jovens a pararem de fumar

Internet usada para incentivar jovens a pararem de fumar

“Surpreendentemente, esse grupo tem a maior taxa de fumantes em comparação a qualquer outra faixa etária”, disse o professor de psicologia e principal investigador do estudo, Robin Mermelstein.

“De fato, o ato de fumar começa a aumentar gradativamente entre os 18 e 24 anos de idade e, mesmo assim, muitos jovens pensam em largar e realmente querem parar, mas eles têm as taxas mais baixas de desistência ou tentativa.”

Quando jovens fumantes tentam largar o vício, disse Mermelstein, “eles tendem a não usar o que sabemos que funciona.

Muitos jovens realmente pensam que os tratamentos não funcionam ou que estão melhores usando métodos caseiros e meios naturalistas, e tendem a evitar métodos cientificamente comprovados”.

Método

Mermelstein e colegas da UIC, em parceria com a Universidade de Iowa e a American Legacy Foundation, trabalharão com a agência de publicidade GDS &amp para desenvolver anúncios interativos na internet e avaliar quais mensagens motivam os jovens fumantes a utilizar o BecomeAnEx.org, site que orienta sobre como parar de fumar e reaprender a viver sem o cigarro.

“Esse é um programa cientificamente comprovado e envolvente para parar de fumar desenvolvido pela American Legacy Foundation”, observou ele.

“Para atingir jovens fumantes, você tem que ir onde eles estão e a internet é o lugar”, acrescentou o professor.

Para Mermelstein, outra meta importante do projeto é achar estratégias para aumentar a motivação e conseguir que o jovem fumante pense que “agora é hora de parar, não daqui a cinco anos, nem daqui a 10 anos, mas agora”.

O estudo de abrangência nacional nos Estados Unidos inscreverá mais de três mil jovens fumantes por meio da internet, que serão recrutados através de sites como o Craigslist.