Versão Ultimate do Windows 7 já tem keygen de ativação para download

A Microsoft apenas liberou a versão final do código para Windows 7 para fabricantes e  empresa, mas já enfrenta um risco de segurança.

O Windows Genuine Advantage antipiracy sistema na versão Ultimate do Windows 7 para os fabricantes (RTM) pode ter sido comprometido por alguns hackers chinês, de acordo com uma variedade de fóruns chineses, e os primeiros comunicados pelos Neowin.com.

Isto significa que o usuário pode ativar completamente os softwares offline sem se conectar ao servidor de ativação da Microsoft.

Windows 7, já teria um keigen
Windows 7, já teria um keygen de ativação

O código do software da RTM é geralmente o mesmo que o código original, o qual estará disponível ao público só em Outubro.

Deve ter sido um processo complicado, mas em poucas palavras, “crackers” utilizando o arquivo ISO se apossaram do certificado de ativação assinado digitalmente pela Microsoft para os fabricantes de equipamentos originais, ou versão OEM do Windows 7.

Trata-se de rumores de que a chave é uma que pode ser usada para ativar múltiplas instalações OEM da marca, como o da Dell, da HP, ou, naturalmente, da Lenovo.

A resolução desta, a Microsoft lançou uma declaração ao site CNET News:

“Estamos conscientes de relatórios de ativação piaratas que tentam contornar ativação e validação do Windows 7, e os clientes, podem confiar que a Microsoft está empenhada em protegê-las da pirataria de software.

A Microsoft aconselha vivamente os clientes para não baixar o Windows 7 a partir de fontes não autorizadas.

Transferir o Windows 7 a partir de peer-to-peer, sites que expõem os usuários a riscos acrescidos – como vírus, cavalos de Tróia e outros malwares além de códigos maliciosos, que geralmente acompanham software falsificado.

Estes riscos podem prejudicar gravemente ou destruir permanentemente dados e, muitas vezes, os utilizadores do furto podem sofrer com as leis cada vez mais severas contra pirataria.”

Fonte: CNET News

Relatório comprova que falsos Antivírus estão crescendo

Em primeira mão, falsos softwares antivírus espalham vírus e trojan por dezenas de milhões de computadores por mês, de acordo com um relatório que deverá ser lançado hoje pelo grupo PandaLabs.

PandaLabs encontrou 1.000 amostras de falsos softwares antivírus no primeiro trimestre de 2008.

Em um ano, esse número tinha aumentado para 111.000.

E no segundo trimestre de 2009, que atingiu 374.000.

Antivirus falsos estão ganhando milhões de usuários desavisados

Antivirus falsos estão ganhando milhões de usuários desavisados

Luis Corrons, diretor técnico do PandaLabs diz em entrevista recente,  que a empresa criou uma equipe específica para lidar com esse problema dos software antivírus desonestos que estão dando falsos avisos de infecções, a fim de levar as pessoas a pagar por software que não necessitam.

Os programas também normalmente fazem download de um Trojan ou outro malware.

O PandaLabs descobriu que 5 por cento de todas as pessoas que utilizam em seus PCs o software Panda antivírus foram infectados.

Utilizando as estatísticas de Forrester, o PandaLabs estima que poderia haver qualquer coisa entre 35 milhões de computadores infectados por mês com programas antivírus falsos, na sua maioria baixados em site de download de vídeos e músicas.

Cerca de 3 por cento das pessoas que vêem os falsos avisos queda por ela, pagam mais de US $ 50 por uma licença anual ou $ 80 por uma licença vitalícia, de acordo com Corrons.

A Finjan em relatório de março estima que esses falsos programas antivírus possam lucrar por dia cerca de $ 10.000.

“O grande consumidor não compreender” a ameaça, disse Correll.

Para muitos, o uso da Internet não traz perigo, é os que acreditam que ela traz por não estarem muito informados sobre ao assunto, acabam caindo nesse tipo de golpe.

Fonte: CNET

Vale o aviso, fique alerta, software antivírus é coisa séria, não saia baixando qualquer coisa por ai ou acabara sofrendo com as conseqüências.

Vai uma lista dos principais softwares antivírus grátis para download:

Avast

AVG

Avira

Panda

Microsoft e Yahoo se unem para concorrer com Google

O Yahoo! e a Microsoft anunciaram hoje uma parceria com duração de dez anos para buscas na internet, em um movimento claro para unir forças contra o Google.

Segundo o acordo, o Yahoo! utilizará a plataforma de buscas Bing, da Microsoft, nos websites e será o negociador exclusivo das duas empresas para anúncios vinculados a buscas para grandes clientes.

Microsoft e Yahoo formalizam o acordo

Microsoft e Yahoo formalizam o acordo

A negociação vem consolidar um ciclo de aproximações da Microsoft, que começou no ano passado com uma proposta de compra de cerca de 48 bilhões de dólares e que foi recusada pelo Yahoo!.

O Wall Street Journal diz que a Microsoft vai pagar ao Yahoo! 88% das receitas com buscas geradas em seu site nos cinco primeiros anos do acordo.

De acordo com a empresa de pesquisas comScore, a Microsoft e o Yahoo! juntos tiveram menos da metade dos 65% de participação do Google nas buscas dos Estados Unidos em junho.

Mesmo que a união não chegue a incomodar expressivamente o Google, por outro lado, a Microsoft conseguiu o que queria: ter os grandes volumes de requisições que são rodadas na plataforma do Yahoo!.

Em um comunicado, o CEO da Microsoft, Steve Ballmer, afirmou que por meio desse acordo com o Yahoo!, a Microsoft vai “criar mais inovação nas buscas, melhor valor para os anunciantes e dará escolha real aos consumidor, em um mercado hoje dominado por uma única companhia”.

O Yahoo! estima que, segundo os atuais níveis de receita e despesas operacionais, o acordo vai proporcionar lucro operacional de aproximadamente 500 milhões de dólares e economias de 200 milhões de dólares por ano às suas operações.

A empresa também estima aumento de cerca de 275 milhões de dólares em seu fluxo de caixa anual.

Por enquanto não existem informações das duas empresas sobre as operações no Brasil, especialmente sobre como ficará a força de vendas de anúncios da Microsoft, já que a o Yahoo! centralizará essas atividades junto a grandes anunciantes.

Fonte: PortalExame

Curso de Internet