Como escolher o melhor antivírus para sua maquina

Escolher um bom antivírus parece ser difícil. Primeiro, porque não se pode escolher dois, e segundo, porque se trata de uma decisão para o futuro: eles precisam pegar os vírus que você ainda nem sabe que vão atacar. Então é muito comum procurar testes de antivírus, que vão apontar um ou outro software como o “vencedor”. O detalhe é que a maioria dos testes é ruim.

Esta coluna já afirmou em outras ocasiões que o mais importante em um antivírus é conhecê-lo – saber dos pontos fortes e fracos, em quais situações ele vai precisar de uma “ajudinha” ou quando pode não ser uma boa ideia confiar nele, porque antivírus também erram.  Os únicos laboratórios que fazem testes capazes de dar toda essa informação são o AV-Test e o AV-Comparatives.

As duas instituições divulgam seus relatórios na internet: aqui está o AV-Test e o nesta página os do AV-Comparatives. Se o teste antivírus não foi feito por um desses laboratórios, é bem provável que ele tenha algum erro de metodologia: testar antivírus é um negócio complicado que exige grande capacidade técnica para receber, analisar e organizar amostras de código malicioso.

AV-Test
Os relatórios do AV-Test são bem fáceis de interpretar. Os softwares são avaliados em três categorias: ProteçãoReparo e Usabilidade. “Proteção” é a capacidade média de um software para detectar ameaças passadas e futuras; “Reparo” diz o quão bom um software é para retirar vírus de um sistema infectado e “Usabilidade” se refere ao impacto no desempenho do sistema e alarmes falsos.

Notas dadas pelo AV-Test: 3 categorias com valores de 0 a 6. (Foto: Reprodução)

Na prática, isso significa que um antivírus com boa usabilidade tem mais chances de detectar apenas arquivos realmente maliciosos, enquanto um programa com baixa usabilidade irá detectar softwares legítimos, obrigando o usuário a buscar uma segunda opinião em alguns casos para não perder um arquivo.

“Reparo” e “Proteção” é mais fácil de entender: um antivírus com boa proteção é bom para identificar se há algo errado com o computador, mas um antivírus bom em reparo será o melhor para limpar uma máquina já infestada de malwares.

Ou seja, se você pegar um antivírus com boa proteção e reparo ruim, pode, eventualmente, precisar instalar e usar temporariamente outro software com reparo melhor para limpar seu PC.

AV-Comparatives
O AV-Comparatives publica diversos relatórios distintos, mas, anualmente, publica também um relatório com um resumo de tudo o que foi analisado naquele ano.

 Os relatórios do AV-Comparatives medem a detecção comum dos antivírus (“on-demand”), a detecção proativa (“proactive”), a detecção dinâmica (“dynamics protection”), falsos positivos e o desempenho – como o AV-Test.

Os testes de detecção proativa envolvem o uso de um antivírus desatualizado para tentar detectar pragas novas. Com isso, a ideia é medir as chances que um software tem de detectar ameaças que ele desconhece, sem criar vírus novos para isso.

Laboratório publica testes regulares de diversos tipos com os principais softwares do mercado. (Foto: Divulgação)

Para começar, é mais fácil ver diretamente orelatório resumido anual com as principais observações sobre cada produto.

Uma nota Standard (STD, “Média”) indica uma proteção OK, Advanced (ADV, “Avançado”) significa uma proteção boa e Advanced+ (ADV+, “Avançado+”) significa uma proteção muito boa. Um antivírus que não ganhou uma nota Standard e está com ela apenas cinza, sem nenhum escrito, não foi bem avaliado.

O AV-Comparatives deixa claro que ter as melhores notas não significa que um antivírus será o “melhor para todo mundo”, já que existem diferenças consideráveis, como a interface do usuário ou o preço, que não são avaliados.

O “antivírus do ano” para eles foi o Kaspersky, com destaque também para Avira, Bitdefender, Eset e F-Secure.

Uma diferença de ADV para ADV+, por exemplo, provavelmente não é muito significativa para você preferir ou um software ou outro, mas pode ser definitiva se está na categoria que mais é importante para você.

Por exemplo, se você tem um computador lento, ou quer economizar a bateria do notebook, um ADV+ no teste de “Desempenho” pode ser o fator principal a se considerar.

Outro exemplo: para um antivírus de uso cotidiano, um ADV+ na capacidade de Reparo provavelmente não é tão importante quanto a capacidade de detectar um problema – porque aí você pode usar outro antivírus para auxiliar o reparo, quando ele for detectado.

Se você nem souber que o problema existe, não adianta poder repará-lo!

Mas você não precisa concordar com a coluna — o importante é estar ciente das características do software e escolher aquele que tem os recursos melhores nas áreas que você acha importante.

A categoria de Falsos Positivos (alarmes falsos) é avaliada separadamente. De acordo com o AV-Comparatives, o melhor antivírus nesse quesito em 2011 foi o McAfee, com zero falsos positivos – provavelmente um resultado de novas políticas que empresa introduziu após o erro gravíssimo que apagou um arquivo do Windows em 2010; em segundo lugar está a Microsoft, com apenas dois falsos positivos.

No entanto, os testes de alarmes falsos realizados em 2012 já encontraram 28 alarmes falsos do McAfee. A Microsoft ainda continua se destacando pelo baixo número de erros, porém também é o antivírus com menor taxa de detecção, com 93,1%.

Já os antivírus com menor impacto no desempenho do sistema (“low system impact”) foram Eset, Symantec, K7 e Avira.

Não existe um software que “é o melhor” para todo mundo – e nem é uma boa ideia que todos utilizem o mesmo programa: diversidade é importante para dificultar o trabalho dos criadores de vírus.

Mas atente para cada detalhe apresentado nos relatórios, conheça quais são os pontos fortes e fracos do software. Jamais instale dois antivírus!

Você pode usar um antivírus secundário temporariamente se isso for necessário para limpar uma infecção, mas não compare antivírus ou mantenha dois softwares instalados no mesmo PC.

Relacionados:

Os sites que eu acesso são seguros ou não?

Super vírus Stuxnet e Flame que teriam cido desenvolvido pelos EUA e Israel para atacar o Oriente Médio

Vírus: Conheça as 10 pragas que mais incomodam e vão incomodar em 2012

Espalhar boatos na Internet pode dar cadeia

Anúncios

7 comentários sobre “Como escolher o melhor antivírus para sua maquina

  1. Atualmente, a maioria das pessoas passa boa parte de seu dia on-line. O problema
    é que, enquanto navegam, muitas não resistem e clicam em spams, acessam
    suas contas bancárias, fazem compras, ou seja, digitam dados confidenciais que podem ser capturados por hackers. Por isso, é tão importante proteger
    seu computador dessas ameaças virtuais, instalando um pacote de segurança, conhecido como Internet Security. Todos os anos, testamos os programas
    mais conhecidos para avaliar sua performance. Neste ano, em alguns, caiu o desempenho de seus firewalls e antimalwares e, por isso, não recomendamos a compra de três deles: Panda, Norton e McAfee. É importante lembrar que um Internet Security é composto por antivírus, firewall (que bloqueia a saída de dados do computador), antimalware (que impede a entrada de arquivos que danificam sua máquina), antispyware (bloqueia as pop-ups, aquelas janelas indesejáveis que aparecem em alguns sites), antiphishing (detecta e-mails falsos, como aqueles
    enviados em nome de bancos ou órgãos públicos), antispam e parental control (que bloqueia o acesso a determinados conteúdos, como sites de pornografia),
    muito útil para pais de crianças e adolescentes. Instalação não deve ser demorada
    Em primeiro lugar, avaliamos o processo de instalação e desinstalação do Internet Security. Essas etapas devem ser fáceis e rápidas. Se o programa demora mais
    do que dez minutos para ser instalado, já começa mal, o que foi o caso do McAfee com quase 11 minutos. Se optar pelo Norton, você levará 2 minutos e 32 segundos
    com a instalação. É importante que eles façam um scan (varredura) em sua máquina à procura de vírus antes de completarem a instalação, o que apenas Trend Micro
    e Bitdefender fazem. É recomendável ainda que a busca seja feita após o término da instalação. Nesse item foram bem avaliados Avast!, Avira e Bitdefender,
    e entre os gratuitos, Avira e Avast!. Em todos os softwares, a atualização do banco de dados com “vacinas” para arquivos nocivos é automática e constante, porém, muitas vezes o programa não mostra qualquer aviso. E para rastrear novas vacinas,
    nenhum é melhor do que o Norton: a cada 15 minutos ele faz essa busca em seus servidores. Isso significa que seu computador estará sempre protegido com novos antídotos, já que vírus e outros malwares se espalham na Internet em questão de minutos. Todos os programas avaliados são fáceis de acessar, configurar e navegar. Se você quiser executar um scan manual em sua máquina, basta programá-la no centro de controle do software. E quando um vírus é encontrado, o Internet Security deve trazer mensagens claras, o que não aconteceu com o Eset e o McAfee. Nessa
    etapa, Avira e Kaspersky foram os mais bem avaliados. Vale ressaltar que, na tabela da pág. 11, a avaliação para facilidade de uso é dividida em três notas: navegação,
    firewall e antimalware. Assim, você tem uma ideia melhor do item em que o programa é mais eficiente. O próximo passo foi analisar o impacto que os programas causam às máquinas, ou seja, se deixam os computadores mais pesados. O ideal é que os PCs não demorem para serem inicializados, por exemplo, após a instalação do programa, mas não foi isso o que percebemos em nenhuma amostra. Os que
    mais prolongaram a inicialização foram AVG, com 55 segundos, e Panda, com 53 segundos, e o maisrápido foi o Norton, com apenas nove segundos. A quantidade de memória RAM que o programa usa enquanto você executa outras tarefas é mais um item importante que observamos. Consideramos bons aqueles que consomem até 64 MB e aceitáveis os que não ultrapassem 128 MB. Nesse critério, o McAfee é o que
    mais consome, 305 MB. Os programas ainda devem usar o mínimo de memória para ficar em stand-by, limitação que constatamos no Bitdefender. Isso mostra que ter um Internet Security requer um computador robusto, com pelo menos 4 GB de memória RAM. Firewalls continuam limitados Em um Internet Security, o firewall é um do recursos mais importantes, sobretudo para quem usa home bankings ou faz muitas compras pela web, já que uma de suas funções é criar um escudo para seus dados,
    evitando que sejam roubados. Nessa etapa, verificamos a eficiência de cada um e simulamos um ataque aos computadores, tentando inserir e capturar dados e acessar sites pouco seguros. Os pacotes Panda, Norton e McAfee foram os piores do teste, pois seu firewall teve desempenho muito ruim. Entre todos os softwares avaliados, o McAfee é o menos versátil, pois só bloqueia aplicativos. O Bitdefender
    também é limitado, já que, além dos aplicativos, só bloqueia endereços IP. Na hora de impedir a captura de informações da máquina, o Eset se saiu bem. Mas, em geral, os programas não tiveram bom desempenho. que aconteceu com o Panda no teste de 2011. Isso é bom, pois o PC fica protegido. Com o firewall instalado, espera-se que nenhuma porta de seu computador fique aberta, ou seja, deixando-o vulnerável a invasões. Os pacotes AVG, Avast!, Eset e Trend Micro foram eficientes nesse sentido, já que fecharam todas as possíveis entrada do computador. O Norton ainda deixa uma porta aberta. Programas foram bem em sites maliciosos. A última parte do teste e a mais importante foi monitorar o desempenho do antimalware dos produtos. A
    avaliação foi dividida em quatro partes: scan off-line, scan on-line (veja mais no quadro acima), detecção e proteção em tempo real. Este, por sinal, é um critério
    relevante quando se fala em antimalwares, já que é a principal função do produto: garantir que você navegue tranquilamente pela web. Para podermos testá-la, acessamos sites maliciosos que tentam a todo tempo enviar malwares para o computador do internauta. Todos os softwares se saíram bem nesse critério. Mas, ao tentarmos inserir arquivos nocivos por meio de pendrives, o resultado foi muito
    ruim. Com exceção do G Data, nenhum conseguiu detectar durante o scan o arquivo malicioso. Um dado importante diz respeito ao preço dos pacotes de Internet Security. Eles variam de acordo com o número de licenças (ou seja, de computadores que fazem uso do programa). Assim, dividir com familiares ou
    amigos compensa muito, baixando seu valor.
    O desempenho do antimalware é a avaliação mais importante do teste. Como você pode perceber na tabela ao lado, há uma grande diferença entre o scan (varredura)
    off-line, quando você não está conectado à web, e o scan on-line. Isso porque o banco de dados do fabricante do programa fica na web e só é acessado no momento da busca. Dessa maneira, a percentagem de vírus detectada costuma aumentar bastante. Para obter o melhor desempenho dos produtos, é aconselhável que você
    sempre deixe o PC conectado à Internet quando for realizar um scan e também sempre com a base de dados o mais atualizada possível. Outra dica importantíssima para os internautas: não adianta instalar o melhor Internet Security do mercado se o usuário clica em todos os links suspeitos que recebe pore-mail ou acessa sites não
    confiáveis. Dessa forma, a ação do Internet Security pode ficar limitada, já que o usuário autorizou a entrada do arquivo em sua máquina.

    Curtir

  2. Pingback: Comprar pela internet de forma segura é possível sim, veja dicas: « W and D
  3. Baidu é uma praga! Baixei um programa que veio junto essa droga. Não conseguia desinstalar. Baixei um programa que enfim consegui desinstalar removerbaidu.com.br

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s